Top 5 Romancistas de Época por Diane Bergher #LeitoresConvidados

12:52


Olá leitores, eu sou a Diana Bergher autora de romances, (confira minhas obras no final desse post). Quem me conhece deve saber da minha paixão por romances de época, históricos e de banca. Sou alucinada pelo gênero desde sempre e ao longo dos anos, fui apresentada às romancistas que conquistaram meu coração.
Para comemorar o mês temático do Blog, fui convidada pela querida Mary a deixar minhas impressões sobre minhas romancistas favoritas.
Vamos ao Top 5!

Em 5º lugar: Candace Camp, um grande nome da velha-guarda. 
Candace Camp é autora de mais de 60 livros do New York Times. Seu primeiro romance, “Bonds of Love”, foi publicado pela Jove Publishing em 1978, sob o pseudônimo Lisa Gregory. Dois pseudônimos (Kristin James e Sharon Stephens) e muitos livros depois, Candace escreve sob seu próprio nome, Candace Camp e ainda adora criar histórias. 
Eu e Candace temos o Direito em comum e confesso que me inspiro em sua história de vida para equilibrar a advogada e a escritora que existem dentro de mim.
A autora é mestre em criar enredos intensos do ponto de vista psicológico, nos fazendo navegar em águas profundas da psique humana. Seus enredos geralmente giram em torno do florescer do amor em solo pouco fértil para tanto. Trilogia dos Aincourt, publicado pela Harlequin, são meus preferidos!

Em 4º lugar: Julia Quin, a escritora que nos cativa.

Como esquecer a queridíssima Julia Quin?! Seria um sacrilégio!
Poucos sabem, mas Julia Quin é o pseudônimo de Julie Pottinger e chegou a cursar a Faculdade de Medicina, acabando por abandonar o curso para se dedicar à escrita. A maioria dos seus livros são dedicados ao seu marido Paul Pottinger. Coleciona diversos prêmios literários, dentre os quais o prêmio Rita (organizado pela RWA - Escritores de Romance da América (Romance Writers of America).
Com um texto leve e divertido, a autora conquistou as brasileiras e merecidamente se tornou uma das “queridinhas” dos romances de época. O que mais me chama a atenção na Julia é sua delicadeza para descrever as cenas mais picantes e a perfeição com que descreve os costumes de épocas passadas. É uma delicinha ler os livros da Julia. Os Bridgerton é de longe seu principal sucesso. Eu até tenho o meu Bridgerton favorito: o Antony, do Visconde que me Amava, e você?

Em 3º lugar: Sarah McLean, a feminista.

Eu demorei um pouco para conhecer a Sarah, mas foi amor à primeira página. A Sarah também é uma autora best-seller e ganhadora do prêmio Rita. Seus romances foram publicados em diversos idiomas e sempre foram muito bem recebidos.
A autora ainda é uma das principais defensoras do gênero chick lit e das mulheres que leem este tipo de literatura. Em razão de tal atuação, Sarah foi apelidada pela revista Entertainment Weekly como “graciosamente furiosa”.
O que mais me chama a atenção nas obras da Sarah é a construção das personagens femininas. Todas elas são fortes e sabem o que querem da vida. Em meio às adversidades de ser mulher em épocas passadas, as protagonistas criadas pela autora rompem as barreiras do preconceito e se tornam heroínas.

Em 2º lugar: Lisa Kleypas, a romancista do improvável.

Embora tenha alçado à fama com os romances históricos, Lisa Kleypas também escreve romances contemporâneos. Seus romances foram publicados em 28 idiomas diferentes e ela também foi vencedora do prêmio Rita.
Minha série preferida da Lisa é Os Hathaway, publicado no Brasil pela Editora Arqueiro. Com uma escrita cativante e intensa, enredos bem construídos e personagens fascinantes, a autora nos emociona com histórias peculiares, onde o binômio amor e dever parecem andar lado a lado. Aprecio muito os romances da Lisa.

Em 1º lugar: Judith McNaught, a diva das divas.

A Judith já vendeu mais de 30 milhões de cópias de seus livros. Para falar a verdade, a Judith já arrebentava quando eu ainda era criança. Whitney, Meu Amor, seu primeiro best-seller foi lançado pela primeira vez em 1985. Eu a considero a diva master do romance histórico.
O primeiro livro que li da Judith foi Um Reino de Sonhos e foi amor na primeira página lida. Depois foi a vez de atacar Whitney, Meu Amor, outro dos meus queridinhos e quando eu vi, já tinha devorado toda a Série Westmoreland.
Alguns dos livros da Judith foram lançados recentemente aqui no Brasil pela Grupo Editorial Record. As primeiras edições são consideradas raras e, quando as encontramos em sebos, precisamos desembolsar uma certa graninha para tê-las em nossas prateleiras.


Por Diane Bergher, autora do best-seller Um Amor para Penélope, romance de época que conquistou as brasileiras e que deu início à Série Belle Époque

VOCÊ PODERÁ GOSTAR DE:

2 comentários

  1. Adorei esse post ♥♥♥
    Só li livros da Júlia e amo ♥
    Quero muito conhecer as demais!!
    Bj!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa você precisa ler as outras, amoo, só não li ainda os livros da Judith.

      Excluir