Resenha: Questão de prática & Questão de Ternura - Louise Allen #RomancesdeBancaForever

18:05



Autor: Louise Allen
Páginas: 316
Ano: 2012
Editora: Harlequin
Gênero: Romance histórico/ de época
Adicione: Skoob Aqui
Onde Comprar: Sebos e grupos de desapego
Nota: 9,5
Sinopse
Meg fugiu para casar, e assim se livrou das regras rígidas de seu pai, um reverendo. Ao enviuvar, tudo o que ela mais desejava era voltar a viver com as irmãs. Porém, não dispunha de recursos para pagar uma passagem de navio. Ao encontrar o major Brandon inconsciente no porto de Bordeaux, aproveitou a chance para fingir ser sua esposa e embarcar com ele para a Inglaterra. Meg havia conseguido o que queria, porém precisava ser tão mandona? E irresistível também? O tempo passado em guerras pesava na alma de Brandon, de modo que ele não teria serventia como marido. Mas poderia aproveitar Meg como sua empregada! E, é claro, dar-lhe total acesso ao seu quarto de patrão.


❤❤❤❤
Oi leitores, tudo bem? Que saudades que eu estava de vir aqui conversar com vocês sobre romances históricos de banca, vocês sabem o quanto amo esses livrinhos. Então, hoje eu trago a resenha desse  livrinho que é primeiro de uma trilogia que nos contará a história das três irmãs Shelley, Arabella, Meg e Celina.
As três irmãs vivem com o pai, o reverendo Shelley, um homem amargo e extremamente rígido com as filhas, mas nem sempre ele foi assim, antes da morte da esposa ele era sempre amável com as filhas.  No entanto, depois que a mãe das meninas faleceu ele tomou fixação de livra-las do pecado, por isso as garotas quase nunca saiam de casa e nenhum pretendente ousava se aproximar delas.
Meg era a irmã do meio, também a mais corajosa de todas, tanto é que decide fugir da pequena cidadezinha onde mora, pois já estava cansada dos mandos e desmandos do seu pai, portanto não via futuro para si nem para as irmãs, naquele lugar.
Quando um antigo pretendente dela, o soldado James Helgate, retorna da batalha eles retomam o namoro escondido do pai dela e ambos combinam que quando James for retornar à guerra ela ira junto com ele. Quando Meg expõe o plano à suas irmãs, a principio elas acham um pouco arriscado, mas Arabela que é a mais sensata e prática das irmãs acaba dando apoio à Meg, Celina a mais jovem e tímida também acaba apoiando a irmã.

     A história vai começar no ano de 1808, na Inglaterra do período regencial, imagine então como naquela época era um escândalo uma jovem fugir de casa com um rapaz. Então, a vida não foi nada fácil para Meg, ir morar em outro país que falava uma língua totalmente diferente da dela, um país que estava em guerra.
 Logo depois do casamento Meg vê que aquela vida que ela sonhou que teria não estava se concretizando, James se revelara ser um homem viciado na bebida e por vezes até violento, mas como estava longe de casa ela deveria se conformar com a vida que levaria daí pra frente, até mesmo porque se voltasse seu pai jamais a aceitaria, pois achava que ela já estava contaminada com o pecado.
Os anos se passaram e quando seu marido morre em batalha, Meg acaba experimentando uma pequena amostra do inferno, durante a leitura do testamento ela descobre que James já era casado, antes mesmo de se casar com ela, por isso todos os bens que eles haviam construído e a pensão de viúva de militar iria para a primeira mulher, isso significava que o casamento deles não era válido e ela não teria direito a nenhum centavo.
 O pior de tudo estava por vir, após a leitura do tal testamento as pessoas ficaram sabendo que James já era casado e logo inferiram que Meg sabia de tudo e aceitara viver aquela vida suja, podem imaginar o quanto a sociedade acaba humilhando-a.
 Meg ficou sem dinheiro, com a reputação arruinada, passando necessidades sem nem mesmo poder voltar para sua família, pois estava em um país distante e sem nenhum tostão furado no bolso, fico imaginando o desespero dela nessa situação.
Após todo esse caos entra em cena o mocinho da história, o Marjor Ross Brandon, Meg o acaba salvando de um afogamento e se passando por sua esposa para embarcar com ele no navio de volta á Inglaterra. A convivência no navio e essa situação toda de fingir que são marido e mulher acaba aproximando eles e despertando uma atração muito forte entre ambos.

"E então ele deu um passo à frente, tomou-a nos braços e a puxou para junto do corpo. Era como ser abraçada por um urso, com  o qual ela o comparara, um urso com cheiro de água do rio, de tecido ainda úmido, pólvora e fumaça, mas era maravilhosamente confortador." 

 Após desembarcarem  Meg achou que jamais tornaria a vê-lo, mas para sua surpresa o destino irá uni-los novamente muito em breve. Meg também descobre que ele lhe omitira muitos fatos da sua vida, inclusive que era um nobre. Apesar de tudo o que viveram no navio ela acaba tendo que começar a se habituar a chama-lo de Lord Brandon, pois aceitara a proposta de se tornar governanta na casa dele.
Me surpreendi demais com essa história, não tinha tantas expectativas assim para esse livro, apesar de muita gente ter me dito que a trilogia era ótima, mas  tenho que confessar, eu comecei a ler mesmo por causa da capa que é magnifica, assim como a dos dois próximos volumes.
Entretanto, durante a leitura eu fui totalmente sugada para dentro da história, me identifiquei com a personagem, sofri com os seus dramas, as paginas foram passando eu eu torcendo para que ela finalmente fosse feliz como sempre quis. O Ross também me encantou com sua personalidade e a forma com que tratava ela, fiquei tão envolvida com a história que devorei esse livro em apenas um dia, ele tem cerca de 315 paginas, mas como é uma edição pocket a leitura acaba sendo muito rápida.
A Meg é uma mulher guerreira, super forte, que comeu o pão que o diabo amassou, mas que depois de sofrer finalmente encontrou alguém que lhe dava o devido valor, mas o medo de se entregar para uma relação acaba fazendo com que ela se afaste um pouco de Ross, não permitindo que ele a ame como ela deve ser amada.

"Era ridículo como ela a fazia se sentir feminina e frágil enquanto a carregava pela escada, até mesmo batendo a cabeça nas vigas e praguejando  quando bateu o cotovelo no balaustre."

 Assim que terminei esse livro, estava apaixonada por ele e já peguei o embalo e comecei a a ler o segundo e logo em seguida o terceiro, só sei que li a trilogia toda em um piscar de olhos, pois todas as três são histórias muito fascinante, tem aquele coisa de romance gostoso que faz a gente suspirar, amo essa sensação.
 Como eu disse antes, gostei de todos os 3 livros, mas se tenho que eleger uma história favorita, fico com esse livro "Questão de pratica" que me encantou do começo ao fim. Mas tenho de adiantar que essas histórias são bem parecidas entre si, em todas as três encontrei elementos muito parecidos, irei aborda-los quando resenhar o terceiro livro, inclusive achei a  estrutura da história bem parecida com a de outra trilogia de outra autora, a série irmãs Copeland da Carole Mortimer, mas nada que tire o brilho dessas três histórias.
Nessa minha edição da editora Harlequin tem um conto "Questão de ternura" que também esta relacionado à essa série e é bem fofinho, também recomendo a leitura.
Recomendo demais a leitura para quem ama romances históricos e de época, garanto que vocês vão se apaixonar, pois essas historinhas são uma delicia de leitura.
Avaliação: 9,5 , além de 5 estrelinhas no skoob e favoritado.

Espero que tenham gostado da resenha, se gostaram contem para mim, me diga se já leram ou se pretendem ler.



VOCÊ PODERÁ GOSTAR DE:

0 comentários