Resenha: O Príncipe das Sombras - Sylvain Reynard

12:57



   Um ser taciturno envolvo em mistério governa com afinco o território de Florença. O seu nome: Príncipe.
     Num dia, no século XVI, sua coleção pessoal de ilustrações da A Divina Comédia desaparece misteriosamente e ele não sabe quem o traiu, só espera vingança. Já nos tempos atuais, suas obras de repente estão numa exposição e mais: em seu território. É claro que o Príncipe não vai deixar barato esse ultraje.
    E para completar o cenário estressante em que o Príncipe se encontra, pessoas desconhecidas invadem o seu território e tentam matá-lo, o que despertar a sua fúria total.
 Minha Opinião
     Por ser um livro introdutório da série Noites em Florença não senti apego aos personagens. Em 128 páginas é mostrado alguns dos personagens que acredito compor o elenco do próximo livro chamado A Transformação de Raven.
    O Príncipe é um ser completamente misterioso que me deixou aflito em querer saber o que diachos ele era, sua natureza não é revelada então não dá para saber se é um imortal, deus grego ou vampiro, é uma lacuna que espero ver respondida no próximo livro.
     Não posso dizer que a escrita do(a) autor(a) é marcante mas não senti nenhuma dificuldade na leitura e a obra possuindo páginas amareladas e tamanho da fonte grande foi combinação mais que perfeita para eu devorar a obra em somente uma tarde.
   Muito é explicado introdutoriamente sobre como funciona o sistema de chefia dos territórios sendo o Romano o líder supremo do país.
   Único ponto que preciso ressaltar é que achei desnecessário criarem um livro físico dessa introdução, seria mais recomendado ser em formato digital ou até mesmo no inicio do próximo volume.
 5 Motivos para ler O príncipe das sombras:
1º Personagem misterioso. Amo demais personagens assim pois instigam o leitor a querer saber quem é, se é confiável ou se é necessário de fato para o enredo se desenvolver.
2º Introdução. Achei uma ótima sacada o livro para quem não curte adentrar um enredo sem saber como funciona um sistema que possivelmente será usado como já estabelecido. Tendo uma obra introdutória é permitido saber de sistemas assim previamente.
3º Cenas cruas. Sim, as mortes são retratadas de forma crua e corriqueira. Se o Príncipe for o que eu penso que seja é compreensível tal abordagem ser usada pois raciocinando é permitido refletir que a sensibilidade humana não é mais inerente a um ser assim.
4º Fluidez. Mesmo o(a) autor(a) não possuindo escrita marcante é fácil ler a obra, sem haver desentendimento de cenas.
5º Lacunas. É um elemento muito delicado, mas que Sylvain Reynard soube usar e instigar o leitor a querer ler o próximo volume que de fato começa a série Noites em Florença.
Gostou da Resenha? Não se esqueça de deixar um comentário contando o que achou!

VOCÊ PODERÁ GOSTAR DE:

0 comentários